30 de jul de 2012

Um domingo triste para futebol Gaúcho



Há alguns meses havia escrito minha decepção sobre torcidas organizadas, eis que hoje leio está matéria falando justamente do meu colorado, o que me faz acreditar e cada vez mais sustentar minha tese de torcida desorganizada.


Cinco pessoas foram presas neste final de semana nas cidades de Canoas e Porto Alegre por envolvimento com o tráfico de drogas. Entre os suspeitos, está uma mulher de 32 anos que, segundo a Polícia Civil, é fundadora e líder de uma torcida organizada do Internacional.


De acordo com as investigações, coordenadas pelo delegado Rodrigo Zucco, a mulher abastecia torcedores e também usuários de classe alta. Após três meses de monitoramento, os policiais controlaram a venda de cocaína pela quadrilha e apreenderam, neste período, cerca de 3 kg da droga.


Com a mulher, foram encontradas buchas de cocaína que a polícia classificou como de excelente qualidade, chamada de escama de peixe, além de um veiculo 0 km. A polícia ainda investiga a participação de outros membros da torcida organizada. (site Terra).

Até quando os dirigentes vão continuar sustentando e dando força para isso. Lembrando que semana passadas jornais do sul haviam provado que os mesmos, que se julgam torcedores e que estão proibidos de entrar nos estádios continuavam a freqüentar estádios e suas torcidas organizadas.



Escrito por Cícero Ribas.

26 de jul de 2012

Será que ainda somos os melhores do Brasil



Temos orgulho de nossa terra, cultivamos nossas tradições tomamos chimarrão a celebrando a amizade passando de mão em mão, assamos churrasco aos domingos na brasa celebrando a família, andamos de bombachas e alpargata, cantamos, exclamamos aos quatro ventos em alto e bom tom, com a mão no coração o hino rio grande a nossa nação.
  Somos conhecidos por sermos um povo de batalhas, que não se entrega por que não esta morto quem peleia, somos rígidos, autoritários pregamos pela organização temos excelência por educação, somos admirados por uma política forte que faz história digna do Brasil Getulio Vargas, João Goulart, Alberto Pasqualini, Alceu collares, Osvaldo Aranha, Assis Brasil. Somos admirados por nossas obras literarias e poeticas tão bem descritas Barbosa lessa, Erico Verissimo, Lya Luft, Mario Quintana, Moacyr Scliar e Paixão Cortês. Ouvidos, cantados Elis Regina, Lupicínio Rodrigues e Teixeirinha. Na bola temidos e respeitados, pois Tri legal de tricampeão academia do povo Internacional, na guerra com sete guerreiros nem em batalha dos aflitos nos entregamos, imortais tricolores. Bairristas, chimangos, maragatos, tricolores, colorados somos gaúchos. Só que nos últimos anos nosso estado tem deixado a desejar, talvez por deixar o ego falar mais alto? Ou um excesso de soberba? Vai saber! É mais a verdade que já deixamos de ser os melhores, veja abaixo as estatísticas sobre nossa educação, que sempre foi o orgulho, o alicerce para o desenvolvimento de nossas glorias.

O Rio Grande do Sul é onde os alunos mais reprovam do país. O índice no estado é mais que o dobro da média nacional, de 13%. A taxa de reprovação dos alunos no ensino médio no Brasil foi recorde desde que o começou a ser medida. Os dados foram anunciados nesta quarta-feira (16/05) pelo Ministério da Educação.
É no Rio Grande do Sul que os alunos mais reprovam do país: um em cada cinco estudantes do ensino médio tiveram que repetir de ano em 2011. O índice no estado é mais que o dobro da média nacional, de 13%. Os dados são de um levantamento feito pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, o INEP, com base nos dados do censo escolar de 2011.

“É em primeiro lugar uma responsabilidade dos agentes educacionais. Não podemos investir milhões e milhões na educação e os alunos entrarem por uma porta e serem expulsos pela outra”, fala o secretário de educação do Rio Grande do Sul, José Clóvis de Azevedo.’’

Os números não são bons também no Rio de Janeiro (18,5%), Distrito Federal (18,5%), Espírito Santo (18,4%) e Mato Grosso (18,2%). Já o estado com o menor índice é o Rio Grande do Norte, com 8%. Esse levantamento, que levou em conta o desempenho dos jovens da rede pública e de escolas particulares, também trouxe uma boa notícia: a quantidade de alunos que abandonam os estudos não pára de cair no Brasil. Em quatro anos, as desistências caíram quatro pontos percentuais. Os especialistas reconhecem o sucesso em manter os alunos na escola, mas alertam que a realidade em sala de aula precisa mudar.

“Dignidade do professor e dignidade envolve salário, uma formação à altura que ele não está tendo e a renovação da gestão escolar”, afirma professor da UFRGS, Fernando Becker.’’

Escrito por: Cícero Ribas.