30 de jan de 2011

Aquecimento Global



Nessas ultimas duas semanas o que aconteceu foi uma verdadeira trágica para nos Brasileiros, jornais do Brasil e de todo mundo inteiro registraram a tragédia ocorrida no estado do Rio de Janeiro na Serra Carioca o castigo da natureza 800 pessoas mortas e 615 desaparecidas é algo apavorante para que esta de fora, imagina para quem esta vivendo este pesadelo.
 Ontem foi São Paulo que sofreu não só com chuva, mas com raios e trovões assustadores que deixou a cidade nas escuras e alagada em alguns bairros.
E nesta semana foi Santa Catarina voltou a ser castigado com tormentas, temporais e
avisos de alerta para possíveis ciclones extra-tropicais. 
 O povo Brasileiro continua solidário canais de tv, jornais, revistas, ongs, empresas todos sempre ajudam e o governo nunca resolve os problemas só aliviam precisamos de soluções urgentes. 
 Cada vez mais podemos sentir os danos que causamos a natureza toda ação a uma reação, pura física poluição industrial, carros, lixos no chão, até acredito que as perfurações do pré – sal também podem contribuir em fim, está na hora de fazermos algo ou teremos que a cada ano nos prepararmos para catástrofes piores.

Escrito por Cícero Ribas

29 de jan de 2011

Rapel mente, equilíbrio e técnica em harmonia.



Ontem sai da mesmice enfrentei minha zona de conflito, mesmo com medo me joguei quer dizer escalei, participei de um esporte de pura motivação que exige mais técnica do que força Rapel. O instrutor nos mostrou toda a segurança e como devíamos agir caso acontece algo fora do normal como escada de mão ou uma tentativa de pulo, etc., depois disso antes da escalada nos contou um pouco do esporte e sua filosofia de vida mente, equilíbrio esquecendo de todos os problemas se focando apenas no objetivo o esporte.
 Minha subida foi emocionante recebe mais algumas instruções antes da escalada, como a corda sempre permanecer a minha frente, passar o pó de magnésio nas mãos para evitar o suor, sempre avisar algum pulo ou tentativa de um obstáculo de dificuldade para que a pessoa do apoio esteja pronta para qualquer eventualidade. Lá me fui nervoso com adrenalina, medo em fim tudo, apoiando-me com muita força e vontade, o instrutor me orientando para usar as mãos sempre como um apoio e as pernas como uma mola e as pontas dos pé como alavanca para impulsão perfeita, suei muito mas conquistei meu Everest hehe, o pico mais alto da já subi e subirei na minha vida foi uma experiência que ficara gravada em minha memória.  
 Mate um leão por vez, quer dizer enfrente seu medo para que possa intender seus limites.

Escrito por Cícero Ribas



25 de jan de 2011

Gaúchos querem a libertadores, mas precisam se mexer





Falando sobre Glorioso Colorado talvez eu esteja enganado, espero que sim! Mas vejo um inter B repleto de jogadores que demonstram muita dificuldade em jogar futebol e vestir a camisa internacional, a exceções o meia – atacante Ricardo Goulart que é um emprestado e o goleiro Muriel que desde o ano passado já mostrou ser digno para brigar pela camisa um.
 O time precisa urgentemente contratar jogadores jovens para o grupo principal, não consigo enxergar no time B algo que possa suprir ou fortalecer as carências do grupo principal, que já é muito experiente e necessita de juventude igual á vitalidade por que se não pode estar se tornando o Milan do Brasil um clube asilo repleto de jogadores com mais de trinta anos.

O imortal tricolor tem planejamento e vontade só que não tem peças de reposição devido à crise financeira que já os acompanha alguns anos, continuam com o velho problema de lateral esquerda, Lucio desde sua repatriação não é mais o mesmo sendo que no ano passado compondo o meio campo com a boa marcação de Fabio Santos se saiu bem, o negócio é calma e torcer pela libertadores talvez engrene.
 Falando nisso o que todos temiam aconteceu o artilheiro do brasileirão 2010 e do grêmio na temporada passada e talvez o único ídolo esteja deixando o clube para o futebol espanhol este com certeza ira deixar saudades e desespero por não ter alguém a altura, Já a direção insiste com a política que quem não vai querer jogar no grêmio, se esquecendo que o futebol de hoje é como um casamento só de amor ninguém vive.

Escrito por: Cícero Ribas