10 de set de 2010

Um minuto para observar


  Tudo começa quando o despertador toca são exatamente 05h50min da manhã, a vontade de permanecer inerte é total, meus olhos se ficção, o oxigênio ainda é pouco, o sangue bombeia lentamente, e o raciocínio é lento busca a resposta para entender e mandar a mensagem a meu córtex que ligeiramente fará minha mão desligá-lo. 


 Levanto-me de olhos meio que fechados, abro o chuveiro no modo inverno por que no sul a madrugada é sempre fria, mas nem tanto para um gaúcho, só desfruto dez minutos desta ducha e acordo finalmente, tomo café, maravilhado com o nascer do sol que demora vinte minutos, sobrando apenas cinco para escovar os dentes. Saio apresado estou atrasado, pois dependo de condução ônibus por sorte o motorista generoso me espera, subo e agradeço pela gentileza nos tempos de hoje isso é raro tenho que incentivar.

  Todos os dias no trajeto que faço casa, trabalho, trabalho, curso, curso, casa percebo que o tempo é precioso, sim e que vivemos atrás do relógio que nunca paramos um minuto para observar o mundo a nossa volta, o cobrador cochilando, trabalhadores dormindo movimentação das pessoas no metro, mendigos deitados no chão dormindo de baixo de marquises, feirantes de chinelos e bermuda vendendo seu peixe, quanto tempo o semáforo leva para fechar, a felicidade do jornaleiro a cada venda, mulheres se olhando e se maquiando, estudantes lendo e conversando, o lanche rápido para não perder tempo, os palpiteiros do futebol, vento que balança árvores e cabelos o sol que aquece os cachorros nas praças a felicidade das pessoas pelo bom dia. 


 Enfim devemos parar nem que seja por um minuto e observar o quanto a vida é maravilhosa.


Escrito por Cícero Ribas

Nenhum comentário:

Postar um comentário